• Aninha

MIRITI: palmeira que faz a gente brincar!

Atualizado: Out 13

Oi pessoal!


Dia desses eu estava brincando na sala de estar de casa, quando algo me chamou a atenção: a árvore de pássaros de minha mãe. Eu adoro aquela árvore! Ela tem vários passarinhos coloridos que você pode mudar de lugar. E ela é especial por ser uma lembrança que mamãe trouxe de uma de suas viagens pelo Brasil. Olha ela aí:


Fonte:https://www.artesol.org.br/associacao_dos_artesaos_de_brinquedos_de_miriti_de_abaetetuba_asamab



Então, me deu vontade de te contar a história de uma palmeira super legal: o miriti. Esta planta é mesmo fantástica, pois dela podem nascer muitas possibilidades, inclusive o "brincar". É isso mesmo minha gente! Miriti também se transforma em brinquedo!


Esta história é das boas, e faz parte da coleção das experiências incríveis que couberam na "mochila" de viagem de minha mãe. Ela compartilhou comigo e, agora, também partilho com você, com a ajuda dos registros que fiz em meu diário. Então, vamos lá!?


Tudo começa na floresta Amazônica, lugar onde nasce essa palmeira aquática encontrada nas margens de rios e igarapés. Aliás, eu já te contei o que é um "igarapé"? Vou explicar: as imagens a seguir mostram dois exemplos dele: à esquerda temos um igarapé do estado do Amazonas e à direita, um do Pará.


Fonte: https://escola.britannica.com.br/artigo/igarap%C3%A9/483295



Igarapé é uma palavra indígena que em tupi significa "caminho de canoa". E é exatamente isso que ele representa: um riacho que liga duas ilhas ou, então, que faz a ligação entre uma ilha e um pedaço de terra firme. Geralmente é um caminho de água bem estreitinho e raso e, por isso, somente pequenos barcos conseguem navegar nele. E são nestes lugares que a palmeira de miriti nasce.


O miriti, também conhecido na Amazônica como buriti, é uma palmeira alta que pode atingir até 30 metros de altura! Ela tem folhas largas que parecem leques abertos e que podem chegar a medir 5 metros de comprimento. Imagine só, que folha gigante!


Fonte: http://www.florestaaguadonorte.com.br/plantas-aquaticas-da-amazonia/buriti/



As suas flores são amarelas e produzem um montão de frutinhas a cada dois anos. Você não vai acreditar no que vou te dizer: um único buriti pode produzir 5 a 7 cachos que carregam uma quantidade aproximada de 500 frutinhas cada! É fruta que não acaba mais!! Olha que coisa linda gente!

Fonte: http://www.florestaaguadonorte.com.br/plantas-aquaticas-da-amazonia/buriti/


Minha mãe me contou que no interior do Pará há uma cidade chamada Abaetetuba. Ela fica na região do Baixo Tocantins e é composta por 72 ilhas habitadas por comunidades ribeirinhas e quilombolas. Por lá há uma grande quantidade de palmeiras de miriti, e isto faz com que as pessoas que moram ali aproveitem tudo o que esta planta pode dar.

Enquanto mamãe me falava a respeito, senti vontade de conhecer. Fechei meus olhos e fiquei imaginando eu e ela dentro de uma canoa atravessando o igarapé e chegando na comunidade de Abaetetuba. E, depois, nós duas ficando frente a frente com uma destas palmeiras gigantes para colher aquele montão de frutinhas... falando nisso, qual será o gosto que elas tem?



Mas uma coisa me chamou a atenção: se as pessoas que moram perto dos rios aproveitam tudo o que o miriti pode dar, então quer dizer que eles derrubam o miritizeiro? Foi então que mamãe explicou que esta palmeira também é especial por conta disso, pois ela oferece muito sem a necessidade de ser derrubada.

Ufa! Fiquei aliviada. Imagine só como a Caipora e o Curupira ficariam se soubesse que mais arvores estão sendo derrubadas a cada dia? Nesta hora, minha mãe aproveitou para me mostrar duas imagens muito legais, para que eu pudesse entender como as comunidades ribeirinhas aproveitam o que o miriti pode dar.














Ao ver estas imagens novamente, lembrei de cada palavra que ela disse:


"- Veja Aninha, do seu longo tronco é extraído alimento do tipo palmito, suas grandes folhas servem como telhado ou cobertura para casas e, também, para a confecção de peças de artesanato. A poupa de seu fruto é transformada em doce e, também, no preparo do vinho de miriti que é usado para preparar sorvetes, refrescos e picolés. Da semente do miritizeiro é extraído um óleo que pode ser usado para fritar alimentos e até para fazer sabão. Mas o mais incrível eu vou te contar agora: o pecíolo da palmeira (parte da folha que se conecta com o tronco), fornece um material muito leve e macio conhecido como o "isopor" da Amazônia. E é com esta fibra que as comunidades ribeirinhas fazem a sua arte colorida na forma de brinquedos!"


Pecíolo, isopor, arte, brinquedo? Nossa!!! Eu nunca poderia imaginar uma coisa dessas! Fiquei chocada e muito curiosa para ouvir o que mamãe me diria a seguir. Lembro que ela contou que a arte de miriti é muito antiga, sendo transmitida de geração em geração na cidade de Abaetetuba e que, inclusive, isto a fez ser reconhecida como a capital mundial do brinquedo de Miriti. E não é só isso, ela também falou que a arte em miriti já é vista como patrimônio histórico cultural imaterial da cidade, ou seja, é algo realmente muito, muito importante para aquela região e para as pessoas que vivem lá.

Mamãe ainda me mostrou um vídeo que ela gravou durante a sua viagem para Abaetetuba. A gravação mostra uma família de artesãos colhendo as fibras da palmeira e depois as entalhando (modelando) e pintando e, assim, as transformando em barquinhos de miriti.



Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=TJRNUbqQmbg


Fonte: https://br.pinterest.com/pin/716494621938613337/?nic_v2=1a2aG50xe



Muitos brinquedos são feitos, e a inspiração vem da fauna e da flora da região, além de seus mitos, costumes e festas culturais. E é assim que nascem cobras, jacarés, pássaros, bonecos, barcos e até personagens que fazem parte do espetáculo do Círio de Nossa Senhora de Nazaré.


Fonte: https://redepara.com.br/Noticia/196760/festival-do-miriti-promete-gerar-empregos-e-celebrar-tradicao-local



Fonte:https://www.facebook.com/AmoBrinquedoDeMiriti/photos/a.155284477962276/693938630763522


Círio do que? No início eu não entendi muito bem. Mas quando a mamãe me mostrou as fotos, tudo ficou mais claro. Ela disse que na verdade ninguém sabe a origem da arte em miriti, mas acredita-se que ela tem relação com uma celebração cristã que os Jesuítas trouxeram para o estado do Pará há muito tempo atrás, no século XVII. Este evento é conhecido como Círio de Nossa Senhora de Nazaré, e é a maior manifestação católica do planeta, atraindo milhões de pessoas às ruas de Belém.


Fonte: https://revistanews.com.br/2018/10/12/belem-abre-celebracoes-do-cirio-de-nazare/



Acredita-se que barcos de miriti já eram usados antigamente para se colocar oferendas para a Nossa Senhora de Nazaré, os quais eram lançados nos rios pelas pessoas que participavam da celebração. Até hoje esta tradição continua e é muito comum encontrar vendedores ambulantes de brinquedos de miriti, especialmente barcos, nas ruas de Belém durante esta época.


Fonte:https://www.facebook.com/AmoBrinquedoDeMiriti/photos/a.155279241296133/744668545690530/



Para mim, saber de tudo isso foi tão impressionante que demorei a conseguir dormir naquela noite. Fiquei pensando: como a natureza pode ser tão maravilhosa? E as pessoas então... como elas conseguiram enxergar tudo isso em uma planta? E aquela festa que reúne tanta gente em Belém!? Puxa!! Como eu aprendi ouvindo o que mamãe observou e registrou em sua viagem para o Pará.

Lembrando de toda esta história, novamente senti uma vontade enorme de ver tudo isso de pertinho... uma vontade do tamanho de uma palmeira de miriti! A mamãe me prometeu que vamos pra lá juntas assim que possível. E enquanto espero este dia chegar, vou me divertindo com os brinquedos que ela trouxe de sua viagem e que eu adoro! Então, bora lá colocar meus barquinhos para flutuar na água, e pendurar os passarinhos nos galhos da árvore do meu quintal!












Até a próxima aventura amiguinho (a)!

Um abraço carinhoso,

Aninha.


3 visualizações
FIQUE POR DENTRO DAS NOSSAS NOVIDADES
Logo Casa de Ana-29.png
Você também pode adquirir estes produtos na Casa de Ana

Endereço: Av. Pequeno Príncipe, 971. Campeche - Florianópolis/SC 

Telefone: (48) 3237-3406

Endereço: Rod. Baldicero Filomeno, 7661. Ribeirão da Ilha - Florianópolis/SC 

Telefone: (48) 3206-9667

© 2020 por Aninha pelo Brasil uma realização Casa de Ana

Logo Casa de Ana-02.png

CASA DE ANA LTDA - ME 

CNPJ: 09.328.551/0001-53

Av. Pequeno Príncipe, 971 - Campeche, Florianópolis/SC-Brasil

0
  • Facebook
  • Instagram